Nesta secção pode encontrar o resumo das reuniões gerais da Iniciativa de Transição Madeira.

Funchal, 23 de fevereiro

No passado dia 23 de fevereiro, tivemos o nosso encontro geral da transição. Novos elementos se juntaram e após uma breve apresentação do Madeira em Transição, reuniram sobre os grupos já em funcionamento, a saber:

– Grupo de Cinema Alternativo

1- Temas a abordar nos ciclos : Permacultura a decorrer – 3 filmes ( fevereiro, março e abril). Referiu-se também que o ciclo a iniciar em maio tem como temática a Educação.

2- Local da projeção – espaço 116, no nº 28 da rua dos barreiros na zona velha da cidade.

3- Dia de projeção: o cinema terá que ser feito às 5ª feiras, por questões de programação do espaço 116, assim sendo haverá projeção nas segundas 5ª feiras do mês. Ficou também acordado com o espaço 116 que em troca o Madeira em Transição iniciaria a construção e a manutenção do espaço de jardim que ali existe:).  Podemos sinalizar através de placa a nossa presença :). Os donativos ficarão na totalidade para o Madeira em Transição.

4- Divulgação – falou-se na possibilidade do Pedro fazer cartazes ou um cartaz genérico sobre esta atividade do Madeira em Transição. Pareceu-nos uma boa ideia e estamos a avançar, bem como, aproveitar este momento  para projetar fotografias /filmes das nossas atividades e encontros antes do filme.

5- Círculos de debate  – foi proposta alteração na dinâmica de debate pós filme – discussão inicial em pequenos grupos  (3, 4 ou 5 pessoas), seguida de discussão em grande grupo. Pretende-se dar oportunidade a que mais pessoas possam expressar/ partilhar/ debater suas ideias e experiências.

6- Proposta do Lionel – realização de um workshop em data a confirmar sobre realização de pequeno clips / spots de vídeo sobre atividades, processos, curiosidade e mesmo sobre o Madeira em Transição.  Estes deverão ser curtos e diretos na mensagem, 1 ou 2 minutos no máximo,  servirão como forma de divulgação, de sensibilização e de alerta sobre as questões que nos preocupam.

– Círculo de Prossumidores 

No Circulo de Prossumidores foi apresentado às pessoas presentes a forma de funcionamento do grupo e os objetivos. 

“Pretende-se com este grupo ligar os produtores aos consumidores finais, promovendo desta forma um consumo responsável e desenvolvendo a comércio local. Sabemos a quem estamos a comprar e queremos produtor de qualidade e frescos. Também pretende ser uma forma do pequeno produtor colocar os seus produtos no mercado. Queremos num futuro próximo criar um mercado onde haverá uma ligação real do consumidor com o produtor.”

As encomendas são feitas durante a semana, até 5ª feira, através de uma folha de excel, e entregues na segunda feira. Atualmente temos 4 produtores e 8 clientes e já realizamos a primeira entregas.

O grupo ainda está numa fase de experimental e por essa razão está a funcionar com um grupo reduzido de pessoas. Está a ser desenvolvido um site para este grupo por forma a facilitar a logística e tornar o processo mais intuitivo.

Falou-se da necessidade de criar um mapa com a morada dos consumidores e produtores, para explorar eventuais sinergias, nomeadamente no transporte dos produtos .

Também falou-se na possibilidade do local de entrega variar ou haver mais do que um local de entrega.

Aspectos importantes do Prossumidores: produtos frescos e de qualidade; preço justo; conhecer o produtor; ligação directa ao produto; sem intermediários; promover o comercio local; criar comunidade

– Danças Europeias

– Vamos continuar com as aulas/bailes no formato livre e com donativo voluntário.

– Vamos ter um músico que vai tocar gaita de foles, flauta ou concertina para dançarmos algumas músicas durante as aulas e bailes que decidamos fazer ao ar livre.

– Depois das músicas ao vivo estarem a correr bem podemos começar a organizar as “Trad Dance Flash Mobs” em vários pontos de interesse do Funchal…

– Feira de Trocas

O grupo da feira de trocas está a preparar toda a logística para a realização da Feira de Trocas Primavera. Local apontando como preferencial o Mercado dos Lavradores, ainda sem confirmação e depois um plano B para S. Martinho.

Temos já ideias e contatos realizados para as tradicionais atividades decorrer em paralelo à Feira,  como o yoga do riso, shiatsu, massagens, workshop de bombas de sementes, workshops ecológicos e de reutilização diversos, espaço e atividades especiais para as crianças, etc. Teremos ainda um espetáculo musical e o grande encerramento com uma sessão de Danças Tradicionais Europeias.

A entrada na Feira de Trocas Primavera reverterá para o Centro de Acolhimento de Crianças “Aconchego”, crianças com idades que vão desde 1 mês até 7 anos, sendo que é solicitado a cada participante que traga um item da seguinte lista:  géneros alimentares, produtos de higiene, roupas, material escolar/pré-escolar ou brinquedos.

– Permablitz

Foram sugeridas a inclusão de mais atividades nos mesmos, nomeadamente a possibilidade de se realizarem danças europeias no final, bem como realizar alguns workshops sobre cultivos em varandas, em garrafas de plástico, permapicultura, casas de banho secas, entre outras.

Funchal, 19 de janeiro

No passado dia 19 de janeiro, tivemos o nosso encontro geral da transição, o primeiro de 2013. Novos elementos se juntaram, estando presentes neste dia 17 pessoas. Após uma breve apresentação do Grupo Madeira em Transição, reuniram sobre os grupos já em funcionamento, a saber:

– Grupo de Cinema Alternativo

O grupo decidiu realizar um pequeno ciclo de três filmes sobre permacultura. O primeiro, de Geoff Lawton, será apresentado no dia 23 de fevereiro. Até se encontrar um espaço alternativo as sessões decorrerão no Livramento. Discutiu-se ainda a possibilidade de apresentar alguns filmes fora do Funchal, mas não se chegou a decidir nada nesse sentido. Foi dado a conhecer um website onde se podem encontrar inúmeros documentários sobre a problemática da sustentabilidade:  http://www.filmsforaction.org/Articles/Films_For_Action_Presents_The_Top_100_Documentaries_Inspiring_the_Shift_to_a_Sustainable_Paradigm/

Programou-se ainda as sessões de março para o dia 16 e a de abril para o dia 20.

– Círculo de Prossumidores 

Foi informado que o website está praticamente pronto. Será enviado um email para as pessoas que se inscreveram e assim lançar o projeto, a funcionar inicialmente em modo experimental para corrigir eventuais erros.

– Danças Europeias

Considerando o elevado número de pessoas das últimas aulas (35 na última semana), o fluxo de novas pessoas, embora sendo positivo, gera muita confusão, implica estar sempre a começar do início, prejudicando os alunos que pretendem evoluir nestas danças e dificultando o correto funcionamento das aulas.

O grupo decidiu avaliar a possibilidade de iniciar um grupo regular de Danças Europeias com inscrição mensal a realizar no próximo mês de fevereiro.

Foi ainda acordado elaborar um conjunto de condições necessárias para frequentar estas aulas, que possa orientar os alunos sobre a assiduidade, a pontualidade, o silêncio, os pares não-fixos e a presença de crianças, a publicar no mural do evento no Facebook .

– Feira de Trocas

O Grupo analisou o ponto de situação das feiras de trocas, apoiando-se no levantamento exaustivo elaborado pela Margarida Sousa, com tudo o que é necessário fazer para a preparação de uma feira. Acolhendo também a sua sugestão, foi decidido convocar uma reunião para todos os que demonstraram interesse nesta organização. Reunião de Preparação para a Feira de Trocas da Primavera, Pousada de Juventude do Funchal, 2 fev 2013 – 18h30.

Foi definido enviar a convocatória por email e criar um evento público no Facebook, partilhado nos diversos grupos e no evento da última feira de 2012, apelando à participação ativa de todos aqueles que queiram contribuir com o seu tempo, disponibilidade e dedicação para que estas feiras de trocas se concretizem na Madeira em 2013.

– Permablitz

O grupo de discussão subordinado aos Permablitz abordou vários assuntos, nomeadamente, a próxima intervenção a ter lugar no Porto da Cruz no dia 16 de fevereiro; a possibilidade de incorporar algumas atividades de bioconstrução nos mesmos; e prolongar a atividade para um dia inteiro, ao invés de apenas uma tarde. Em relação à possibilidade de realizar “oficinas” de bioconstrução foi considerado que iria certamente enriquecer os Permablitz, mas, tal como o prolongamento da duração dos mesmos, estaria condicionada às condições e requisitos específicos de cada intervenção. No seguimento da discussão foi dado a conhecer um projeto de agrofloresta a ser implementado por alguns membros do grupo de transição, tendo ficado em aberto a realização de um(s) Permablitz para intervenções necessárias ao mesmo.

– Outros

Ficou agendado o próximo encontro para o dia 23 de fevereiro – 7º Encontro Geral da Transição Madeira – Monte/Livramento, 15h00.

Foram também já apontadas as datas para as reuniões gerais dos próximos dois meses: 16 de março e 20 de abril.

No final foi apresentado ao grupo uma sugestão de logótipo para o Madeira em Transição pela Verónica Lopes. Após análise conjunta foram sugeridas algumas ideias, que serão estudadas e apresentadas na próxima reunião geral.

Registo fotográfico dos trabalhos: https://www.facebook.com/media/set/?set=oa.407734275970659&type=1

Funchal, 17 de Novembro

No passado dia 17 de Novembro, tivemos o nosso encontro geral da transição, com o objetivo de consolidar os projetos em curso, encerrar as atividades de 2012 e refletir no que vem aí para 2013.

Novos elementos se juntaram e em jeito de balanço foram abordados cada um dos projetos em curso, com uma breve apresentação e ponto de situação atual. A saber:

– Ciclo de Cinema do Grupo Transição Madeira

Foi definida a periocidade para 2013: Mensal, 6.ª feira às 21h

Próxima exibição: “O Poder da Comunidade – Como Cuba Sobreviveu ao Pico do Petróleo”  18Jan2013. Local a definir: Espaço 116 ou EYF.

Foi sugerido a introdução de filmes com a temática Permacultura, sessões para crianças e manter o formato de abertura ao diálogo no final de cada uma das sessões, sempre que se enquadre, convidando à partilha e contextualização no cenário atual.

Foi incentivado a elaboração de textos para promoção e divulgação por parte dos moderadores. Isabel Pinto, Maurília Cró, Zé Carlos Ferreira e Nuno Timóteo.

– Círculo de Prossumidores 

O levantamento de eventuais produtores/produtores que possam fornecer o grupo está a ser elaborado.

Vamos usar a folha de Excel existente e colocar o grupo em funcionamento. Será elaborada também uma lista de potenciais consumidores. Entregas em lugar marcado.

Criar grupo de pessoas responsáveis pela receção e preparação dos cabazes a entregar aos consumidores. Manuel Vicente, Ana Isabel Freitas.

– Danças Europeias

Foi definida a periocidade dos encontros para 2013: 1 vez por semana. (Em princípio 3xs por mês à quinta e 1 xs por mês aos sábados)

É necessário encontrar alguém que tenha disponibilidade para orientar os ensaios quando o Alexandre sair da Madeira, (Falar com Susana e/ou Carolina), como forma de dar seguimento a estes eventos.

Todos concordaram sobre a necessidade de se conseguir um espaço adequado para o efeito. Surgiram algumas ideias de espaços alternativos como: escola de dança no Caminho de Santo António, bares, hotéis, casas do povo.

– Feira de Trocas

Foi definida a periocidade das Feiras para 2013: 3 em 3 meses. (Primavera, Verão, Outono, Inverno)

Fixar a Feira para facilitar toda a logística, podendo haver uma feira extra fora do local habitual sempre que se justifique.

Continuar a dinamizar atividades paralelas durante as Feiras, funcionando como chamariz para o público, como o exemplo das Danças Europeias. Helena Andrade, Gil Freitas, Margarida Meira, Ricardo & Carla Pestana.

– Permablitz

Foi definida a periocidade para 2013: 1 vez por mês.

Procurar variar no conteúdo de cada Permablitz e levar a casa das pessoas. Fomentar o espírito de solidariedade, ajudando-se uns aos outros, envolvendo as pessoas.

Apostar na vertente educativa, com actividades com as crianças. Aqui foi sublinhado o projecto “Educação”. Continuar as atividades com as crianças neste contexto: Maurília Cró e Carina Castro.

Surgiu a ideia de implementar os almoços ou jantares comunitários nestas visitas.

Foi sugerido também pedir a cada proprietário, sempre que possível, um pequeno texto resumo e a posterior reportagem fotográfica sobre a realização desse Permablitz para divulgação no Madeira em Transição. Manuel Vicente, Nuno Timóteo.

– Outros

Foi abordada a necessidade de dar continuidade à gestão de toda a informação e divulgação dos eventos da transição em tempo real.

Foi decidido criar o grupo “Madeira em Transição” no Facebook, por ser a ferramenta preferida de muitos, como mais uma forma de dinamizar e publicitar.Mantém-se o princípio de canalizar toda a informação no blog https://madeiraemtransicao.wordpress.com e depois “puxar” as publicações para o grupo, bem como criar eventos e outros que possam surgir. O grupo é aberto e todos podem e devem publicar, partilhar. Verónica Lopes, Nuno Timóteo.

Ficou agendado o próximo encontro para o dia 19 de Janeiro – 6º Encontro Geral da Transição Madeira – Monte/Livramento, 15h00.

Registo Fotográfico

Funchal, 14 de Outubro 2012

No passado dia 14, contámos com mais um grupo entusiasmado de participantes no encontro madeira em transição.
Novos elementos se juntaram, com novas ideias.
Assim, para além dos grupos já em funcionamento, a saber:
– Ciclo de Cinema
– Danças Europeias
– Feira de Trocas
– Cooperativa de Consumidores
– Permablitz
– Viveiro de árvores de fruta/plantas aromáticas comunitário,
foram lembradas ideias ainda não concretizadas e surgiram novos interesses, como o criar uma cozinha comunitária, construção de equipamento de energias renováveis, workshops de demonstração de cultivo de horta e ervas em vasos a realizar nas Casa do Povo e Escolas,criação de uma moeda local, criação de uma comunidade de aprendizagem para implementação de um projeto de permacultura, criação de um grupo de pais para encontros de entre-ajuda e «home-schooling», aprendizagem de tecelagem.
Após o inventariar de ideias, os participantes distribuiram-se em grupos para estabelecerem linhas de acção.
No final, foram apresentados os resumos de cada moderador do grupo respetivo.

Relativamente ao grupo da «Cooperativa de Consumidores»o moderador resumiu o seguinte:

Na fase inicial foram apresentados os objectivos do grupo e o que havíamos feito.
Ao longo da conversa foram abordados os seguintes pontos:

– fazer levantamento de eventuais produtores/produtos que possam fornecer o grupo;
-dinamizar o comercio local;
-criar grupo de pessoas responsáveis pela recepção e preparação dos cabazes a entregar aos consumidores;
-incentivar o uso da moeda local nestas transacções;
-mudamos o nome do Grupo para ” Circulo de Prosumidores
Nota: encontrei esta explicações do que é prosumidores, que tem a ver com os objectivos do grupo; http://fmanha.com.br/blogs/cartasnamanga/2010/11/17/prosumidores-saiba-o-que-e/
vamos por o grupo em funcionamento, em fase de testes, com algumas pessoas que estivera presentes na reunião;

Grupo da tecelagem:

Criar os tecidos para a nossa própria roupa, tapetes, colchas… é o objectivo deste grupo. A nossa meta é saber fazer todo o tratamento do linho e da lã, desde o cultivo ou tosquia até à tecelagem. A Fani tem vários teares no continente. Ela vai ver se é possível trazer algum para a Madeira.
A Maurília e o Nuno Melo vão enviar contatos de pessoas que possivelmente podem ensinar a tecer.

Grupo moedas locais:

Concluímos que será benéfico aproveitar o trabalho já efetuado pelo Nelson Almeida (?) no favoresemcadeia.org e promover a sua divulgação e uso. Com isto pretendemos explorar os limites do sistema e encontrar oportunidades de melhoria!!! Ficou em aberto a forma como se vai fazer a integração deste sistema nas feiras de trocas e futuro circulo de prosumidores e outros serviços…
Concluíu-se também que será necessário criar mais serviços dentro da comunidade para tornar minimamente atrativo o sistema. O sucesso desta “moeda” estará diretamente ligado a uma oferta de serviços o mais diversificada possivel.

Danças Tradicionais Europeias

Marcou-se sexta feira dia 19, um ensaio de dança, aberto a quem quiser, com orientação de Nuno Melo e Alexandre Martins, às 21h na  Rua professor Bettencourt Rodrigues Nº 7. ESte ensaio visa preparar um grupo que possa depois «atuar» na Feira de Trocas que se irá realizar no dia 21.

Surgiram algumas ideias de espaços alternativos para o Workshop de Danças com o formador Matias que irá decorrer no fim de semana de 24 e 25 de Novembro. Maurília ficou de se informar junto da Associação Xarabanda e a Margarida sugeriu o espaço do salão Paroquial da Nazaré.

Ciclo de cinema alternativo

Várias ideias surgiram  neste grupo de cinéfilos entusiamados :). A ideia de em breve se poder levar o documentário «Transição 2.0» a outras salas de outros concelhos, nomeadamente Cámara de Lobos, Ponta do Sol. Averiguarmos a possibilidade de usarmos a sala de cinema do Centro Comercial Infante e o espaço CentroMar.

Surgiu a ideia de alargar a exibição de filmes à população infanto-juvenil, noutro horário, por exemplo aos sábados às 10h da manhã, com exibição de filmes alusivos à ecologia e aos animais (Ex: «Wall E; «Lorax», «Bee»).

Outras ideias de futuros documentários: «Home» e «Problema».

Foi incentivado o encontro durante o próximo mês dos grupos em questão, por forma a dar continuidade a este trabalho.
O próximo encontro ficou agendado para Sábado, dia 17 de Novembro, às 15h.

Como Construir um Novo Mundo?

Funchal, 12 de Maio de 2012

Novos Temas

– Desenvolver o projecto Amélie nos hospitais, escolas, etc – Márcia

-Aumentar a informalidade e espírito de partilha entre desconhecidos – Sandra

– Fazer/organizar um debate sobre Amor – Márika

-Introduzir relaxamento nas salas de aula – Márika

-Organizar uma feira criativa sobre como construir um novo mundo – Márika

– Uma pessoa reformada e que tenha sido médica poderia dar consultas gratuitas às pessoas que não tenham dinheiro para consultas médicas – Raquel

Construir mais skateparks/ pontos de convívio para os mais novos – Quico

Trilhar cursos de downhill na serra para o convívio e competições – Quico

Relatórios das reuniões ocorridas durante o dia 12 de Maio e que foram elaborados pelos participantes durante esse dia.

Tema: Feira de Trocas ‘Believe in Dreams’ na Madeira. Uma feira sem dinheiro

Participantes: Regina, Ricardo, Margarida, Maurília, Raquel, Cidália, Maria José

Discussão acerca do local: Depois de muita discussão (importância do local ter sombra, ser um sítio de passagem ou não, etc, etc.) Elegeu-se um novo local: Quinta Magnólia – implica que a divulgação seja realizada antecipadamente e com grande destaque em vários meios da comunicação social. Maurília ficou de contactar a Quinta Magnólia a solicitar autorização. Em alternativa referiu-se o Parque Santa Catarina e o Jardim Municipal. A reunião com a Câmara deve manter-se até por causa de futuros locais para próximas feiras.

Vinda da Andresa: Estará na Madeira de 19 a 25 de Junho e vamos contar com a Andresa para o máximo de divulgação da feira e adesão ao festival de transição.

Programação: Sexta à Noite:palestra na FNAC, Entrevista com Teresa Mizon, Programa Madeira Viva na RTP-M?, Universidade da Madeira, Diário de Notícias?, Escolas secundárias (Falar Nádea)

Financiamento da viagem Andresa: grupo de transição (tentar ver outros patrocinadores, que estejam dispostos a trocar algo?), ciclo de cinema (solicitar donativo), canalizar de outras actividades.

Associação a adoptar: Associação Pata, uma associação que precisa de inúmeros serviços, géneros… A associação Dançando com a Diferença encontra-se agora com imensas actividades

Espectáculo Final: A Biodanza não pode participar. Precisa-se novas sugestões!

Speed Connecting: Maurília ficou de arranjar instrumento musical para este exercício. Se alguém tiver um bombo ou outro semelhante, avise.

Blog: Já está em funcionamento: http://feiratrocasmadeira.wordpress.com/

Papel cenário para a feira: Ir buscar ao Diário de Notícias – Maurília ficou de saber mais informações e dizer como vamos lá buscar

Participantes: Precisamos de saber de quem do grupo transição Madeira quer participar, nem que seja para colocar o nome.

Vicente sugeriu: adoptarmos uma espécie de moeda comunitária, para um próximo evento

Favores em cadeia: ficamos de ver com o Nelson como inserir a feira no site favores em cadeia

Próximas acções: Reunião na próxima semana? Até lá convém termos local definido, lista da associação Pata a colocar no blog, marcações agenda Andresa, novas ideias para o espectáculo final?

 Tema: Educação

Participantes: Isabel, Nádea, Márika, Sandra, Cidália, Alexandre, Maria José

(…)

Tema: Feira Criativa sobre a nova consciência
Participantes: Márika, Márcia, Sandra, Isabel, Margarida, Cidália, Sandra, Fátima

Discussão, conclusões e recomendações:  Tendo em conta que há muitas pessoas que sentem uma especie de “inquietação”, mau-estar, vontade de mudar ou estão fartas ou cansadas de viver como têm vivido ate agora, mas que não percebem o porquê,  surge a necessidade de sensibilizar para as outras formas de viver, estar e ser… Esta é a REALIDADE ACTUAL.
OBJECTIVO ou o que se pretende: sensibilizar a população em geral para a alternativa; despertar para uma nova consciência;  ter um papel activo na construção de um novo mundo.
SOLUÇÕES: organizar uma feira ou um evento para este fim. As pessoas interessadas trarão a sua visão de mudança. Exemplo de temas possiveis: Biodanza, arte-terapia, artes, alimentação saudável, yoga, reiki, meditação, ideias / flyers de como uma pessoa comum pode contribuir para um mundo melhor, lançamento de uma espécie de debate no início do ano escolar de como os alunos querem o Novo Mundo e o que acham que este mundo tem de bom agora. Depois na feira poderão mandar alguns representantes de algumas escolas para fazerem o seu testemunho ao vivo. (esta ideia tem muito pano para as mangas….)
Dilema existe em decidir  o foco -> fazemos algo mais caseiro e pequeno e tentamos envolver as escolas e as pessoas que “tropeçam” na feira OU um evento maior por exemplo no tecnopolo (e podemos claro envolver as escolas na mesma, mas ai o restante população fica mais limitada, ou não….
AÇCÃO: marcar um encontro para desenvolver mais as ideias com as pessoas interessadas no projecto.

Tema: Baile de Danças Tradicionais – Dia 7 de Julho

Participantes: Alexandre, Margarida, Maurília, Cidália, Sandra, Maria José

Local: Para além da Casa São João de Deus, sugeriu-se a escola dos Louros (verificar junto Nádea) e Escola Bartolomeu Perestrelo (verificar Micaela), verificar sempre se tem sistema de som.

Microfone portátil: verificar junto do gabinete coordenador artístico

Preço sugerido: 15euros + 5 euros (baile)

Workshop para crianças (máximo 15): Responsável Maurília. Iremos contar com voluntários para ficar cerca de 1h/1h30 com as crianças, 2 por cada turno (dependendo do número de crianças. Usufruem de entrada gratuita no evento.

Divulgação: Alexandre faz poster, Margarida faz vídeo de divulgação. Criar evento no facebook. Festival de Música Celta

Tema: Desenvolver Comércio Local – Cooperativa agrícola

Participantes: Paulo, Isabel, Vicente

Objectivos: Realização de uma plataforma on-line que suporte a distribuição de produtos agrícolas locais de uma forma sustentável

– Existirá uma pequena margem para cobrir custos administrativos

– Gestor de produtores/agricultores: encomendar, pagar, etc.

– o depósito de stock terá de ser realizado até 4ª,  (…) de 5ª feira até 6ª às 19h

– Recolha de produtos no sábado e validação das encomendas. Quantidade de produtos, produtos estragados

– peças organizadas pela ordem e encomenda e qualidades. São feitas as correcções necessárias

Como Construir um Novo Mundo?

Funchal, 12 de Abril de 2012

Temas que apaixonam os participantes e possibilitam a construção de um Novo Mundo:

Favores em cadeia (Nelson), diminuir horário de trabalho (Nelson);

Apelar à consciência do outro para a necessidade da nova construção (Tina),

Incentivar a felicidade – festas, conversas, trocas,

Aumentar a auto-estima dos Portugueses/Madeirenses,

Despertar o mais alto potencial humano (Harshala),

Fazer bailes de dança tradicional (danças europeias) (Alexandre),

Construir uma nova escola com novo currículo para crianças nova era (Isabel Macedo e Nadea),

Incentivar que as escolas tenham nos seus planos mais preocupações ambientais (Rosa Abreu),

Atelier’s infantis de expressão (para crianças) (Maurília), Ciclo de workshops: abordagens expressivas na educação (para adultos e educadores) (Maurília);

Homeschooling (Débora),

Promover um curso de amamentação na Madeira (Maria José),

Animais abandonados: ponte entre idosos solitários e crianças sozinhas,

Converter a Madeira em terra livre de produtos de síntese química e criar uma agricultura sustentável,

Promover o desenvolvimento de agricultura biológica na Madeira (Tamara),

Cultivar espaços de horta nos quintais em partilha/parceria (Ana Isabel), Fabricar caixas de compostagem(Ana Isabel), Compra/distribuição de produtos de agricultura orgânica(Ana Isabel),

Produção da nossa alimentação (Marco),

Encontros ‘Trabalho’: Jardim/Horta (Maurília),

Resolver problemas ambientais da Madeira – contaminação da água e solo/combater plantas infestantes (Luís),

Criar concelhos comunitários (trocas de bens e serviços),

Cozinha comunitária (Rui)

Agruparam-se alguns temas, sendo apresentado os relatórios das reuniões ocorridas durante o dia 12 de Abril e que foram elaborados pelos participantes durante esse dia.

  • Promover o desenvolvimento do comércio local a vários níveis através de conselhos comunitários e cooperativas

Participantes: Vicente, Dayanara, Marco, Tamara, Rui, Ana Isabel, Luís, Teresa, Josefina, Helena, Gil

Conselho comunitário: Ex. dado Venezuela – comunidade organiza-se para trocar serviços; criar ponto de compra/venda de produtos/discutir problemas e ter interlocutor para falar com as autoridades

Mercado mensal de produtos ‘bio’: agrícolas, artesanal, detergente

Cooperativa de compra: leite de produtores bio e conhecer a disponibilidade do produto; leite de compradores; armazém e responsável pelas compras (…)

Hortas nos nossos quintais: em vez das pessoas cultivarem sozinhas a sua horta, vão em grupo à horta de cada um. Cultivamos produtos de acordo com o terreno, localização e depois partilhamos os produtos

Encontro mensal rotativo: por exemplo cultivar, fazer pão, cozinhar a lenha, fazer caixa de compostagem

– Último domingo de cada mês, feira da Criamar no parque de estacionamento do Casino

  • Bailes de danças europeias

Participantes: Harshala, Micaela, Tina, Margarida, Alexandre

Definição: Danças europeias são danças tradicionais geralmente em grupo, roda ou a pares como acontece anualmente no festival Andanças. Ainda não existe este tipo de dança na Madeira, é completamente diferente das danças de salão ou outro, e aberto a toda a família, sendo adequado a diferentes gerações.

Objectivos: Ter um grupo que pratique danças europeias através de uma aula semanal (?) e/ou bailes tradicionais para praticar o que foi aprendido na aula.

Custos: Em Lisboa os bailes funcionam por donativo, geralmente 2euros/pessoa para cobrir custos relacionados com o espaço

Acções:

1) Enviar email a todos os contactos, a perguntar se conhecem alguém na Madeira que poderia dar 1 aula semanal e/ou orientar baile de danças europeias. O Alexandre, dada a sua experiência em danças europeias poderá auxiliar nesta tarefa, mas é necessário alguém que conduza as aulas/bailes.

2)Caso não exista ninguém na Madeira que possa conduzir estas aulas, estabelecer contactos com formador de Lisboa, Porto, etc., verificar preços da vinda do formador de modo a realizar um workshop de danças europeias. Depois desse workshop o objectivo é o grupo praticar sozinho o que aprendeu.

Local: A Micaela disponibiliza o seu espaço no centro do Funchal a partir de Maio. Sugestão de verificar igualmente centros de dia, centros de ioga.

  • Despertar o mais alto potencial do ser humano

Promover discursos positivos, com a tónica na felicidade.

Fazer aulas de ioga, meditação, sessões cura ‘om healing’, etc.

  • Favores em cadeia

Definição: Troca de bens/serviços. Promover solidariedade (dar), através de um site: www.favoresemcadeia.org (ainda em fase de construção)

O Nelson já registou o domínio, mas precisa de auxílio para a concepção do site (informática, design)

Brainstorming: Unidade de troca: tempo? Correspondencia entre produtos? Ficar a dever ao ‘banco do tempo’ com um patamar de endividamento?  Dar feedback ao utilizador?

Importância de realizar eventos mensais, exemplo: feiras de troca, de forma a provocar sinergias, convívio e partilhas

Já existe um banco do tempo em funcionamento na Escola Jaime Moniz

  • Feira de trocas

Definição: Realização de feiras para dar ou trocar produtos/bens…

Local: Solicitar autorização à Câmara Municipal do Funchal – Jardim Municipal, Largo do Município, etc.

Frequência: Mensal?

Exemplo da Feira da Criamar – Car boot sale (mas neste caso, os feirantes vendem os seus produtos. Para participarem pagam 5 euros, que reverte a favor da associação criamar. Divulgação é feita essencialmente junto dos hotéis. Acontece no último domingo de cada mês

  • Educação 

Modelos: Escola da Ponte,  Escola Waldorf,  Home Schooling,  Escola Moderna,  Escola Neohumanista, Projeto Regio Emília (Itália), Método Montessori
Focamos a nossa atenção no grupo de crianças mais novos, partindo da ideia, que é de início que temos de começar a mudar, e então visualizámos um Infantário (crianças dos 0  aos 5 anos), onde para além do edifício principal seria bom ter espaço para: horta, animais, biblioteca, laboratório de experiências,parque infantil, e espaços livres. As matérias deveriam estar interligadas para que as crianças aprendessem um assunto sob vários prismas.
Como temas, inventariámos:  Todas as formas de Expressão de Arte,  Meditação,  Yoga,  Autonomia, Comunicação, Matemática, Novas tecnologias, Expressão motora, Conhecimento do mundo, Formação pessoal,  Social e Cívica, Alimentação.
Dentro deste «brainstorming», surgiu ideia de se pedir um estágio de observação na Escola da Ponte.

Três elementos deste grupo ficaram de se reunir com mais frequência para continuar a desbravar este caminho.

Anúncios